Blog

Por uma desigualdade menor

By 18 de setembro de 2017 No Comments

O debate sobre a distribuição de renda no Brasil ganhou força nos últimos dias com a divulgação de um estudo de Marc Morgan, do World Wealth and Income Database, instituto dirigido pelo economista Thomas Piketty.

Segundo o estudo, a desigualdade de renda no Brasil não diminuiu entre 2001 e 2015, conforme se previa.

Existem algumas propostas sobre como tratar a desigualdade, como investimento pesado em infraestrutura e melhorias profundas no ensino.

Sejamos francos, estamos em um momento em que o governo só pensa em reduzir gastos, o que acaba transformando as duas opções acima em planos para o futuro.

Existe ainda um debate sobre implementarmos no país uma taxação mais progressiva, de forma a alcançar a camada mais alta da população e trazer mais equilíbrio para a equação.

Também muito distante da realidade.

Como alternativa, creio que se as pessoas conhecessem um pouco mais sobre educação financeira, a forma de lidar com dinheiro, dívidas, financiamentos e investimentos, poderíamos trazer certo alívio ao menos para a parte menos beneficiada da população.

Você quer um exemplo? O brasileiro paga em média 36% de impostos ao ano, basicamente distribuídos entre renda e consumo.

Diminuir o que você paga de impostos sobre a renda, é possível.

Existem caminhos legais para isso. No entanto, não é algo que você possa fazer de imediato.

Já os impostos sobre o consumo, aí sim está nas suas mãos. Não estou falando sobre o governo mudar alguma regra. Estou me referindo às suas escolhas.

Explico:

Ainda somos um país que valoriza as aparências.

É o tal do “tenho que ter aquilo” ou “preciso ter isso”, sem falar do mais conhecido “eu mereço”!

É importante lembrar que é no consumo de bens e serviços que se concentra a boa parte da carga de impostos. Teoricamente quanto mais você consome, mais impostos você paga.

Por outro lado, àquelas pessoas dedicadas a construírem um patrimônio, é dada a possibilidade de serem beneficiados com uma menor incidência de impostos.

Leia-se: Tudo dentro da lei e da ordem! Basta seguir as regras estabelecidas.

Você deve estar pensando que isso é só para poucos, ou, é mais uma vez algo para um grupo privilegiado, favorecidos pelo famoso “jeitinho brasileiro”.

Não! Isso é para todos aqueles que se esforçam e se dedicam a poupar parte dos seus recursos.

Os caminhos são muitos, e não é o foco desse texto.

Por hora, gostaria de destacar a importância do investimento e construção do patrimônio em detrimento do consumo desenfreado.

Meu desejo é melhorar de alguma forma a vida das pessoas, não necessariamente transformá-las, mas fazer algo que deixe o seu dia a dia melhor.

O caminho que encontrei para fazer isso é através da educação financeira.

Se você acredita que a educação financeira possa ajudar de alguma forma a vida de outras pessoas, compartilhe!

Um abraço,

Marcelo Siqueira